18 de mai de 2014

10 de mai de 2014

Fechando a caixinha.

É triste, porém é verdade. Esse é o fim da caixinha e assim, sendo, do meu amado blog.
Quando eu comecei a caixinha, lááá em setembro de 2009, aos recém cumpridos 16 anos, eu nem sabia no que estava me metendo. Não achei que fosse vingar, e agora, quase 5 anos e 463 postagens depois ainda estou eu aqui, escrevendo.
Resolvi me desfazer do blog por basicamente 3 motivos:
1-mudança do layout. Queria alguma coisa difierente, mas não queria me livrar desse layout, tão lindinho.
2-  a caixinha Tiffany's. Ela não me representa mais. É claro, que a simbologia da embalagem simples guardando uma coisa sensacional ainda é válida, mas sinto que o objeto em si já não me representa mais tanto assim. Não me entenda mal, ainda vendo um rim ou dou minha alma por um anel. Ainda mais um anel da Tiffany's. Ele só não representa mais pra mim tudo aqui que representava quando criei o blog. Isso nos leva ao motivo 3.
3- eu mudei. Eu ainda sou a Tainá, o que significa que ainda amarei Gossip Girl, que a minha banda favorita ainda será Maroon 5 e que minha temática de rodinha de conversas favoritas ainda será sobre relacionamento. Por outro lado, seria errado afirmar que eu sou a mesma de quando criei esse blog, e já não me identifico com muitas coisas que escrevi nele. Pela primeira vez, desde os meus 14 anos eu sinto que não sou mais a Tainá que eu era.

Todo o conteúdo aqui será mantido, o blog não vai sumir, e sempre vou voltar aqui para checar os comentários. Por isso o blog não 'acabou', ele está simplesmente 'fechado', ou seja, não haverão novas publicações.

MAS E AÍ TAINÁ? NÓS NOS LIVRAMOS DE VOCÊ????????/
nãããããããããooo!!! Com o fim desse blog estou inaugurando meu blog novo, Overthinking about Everything, e a primeira postagem já está lá! Dessa forma também, quando eu linkar algum post daqui vai aparecer o layout da caixinha, separando essas minhas duas fases. Para já dar uma chegadinha lá, CLIQUE AQUI 

A Caixinha. Trancada.

30 de abr de 2014

UM TWITTADA

diz mais que mil palavras

28 de abr de 2014

Preocupações.

as de hoje:
-Será que meu pais vão perceber que eu to bebada? / Será que ele vai me ligar? / Será que tem pizza? / E se eu pegar recuperação? / O trabalho é pra amanhã e eu nem comecei. / Não tenho roupa pra ir na festa. / Comer brigadeiro vai engordar. / Tomara que não chova, quero piscina. / Quem é essa vadia olhando pra ele? / Preciso de dinheiro pra ir naquele show.

as de amanhã:
-Quero aquele relatório na minha mesa ontem. / Fez as comprasdo mês? / Mas isso não vai estourar o orçamento? / Lembrou de marcar reunião com os professores das crianças? / Limpou direito a casa? / Pegou aqueles documentos que precisava? / Tem que sobrar aquele dinheiro no fim do mês. / Levou meus pais pra fazerem chek-up? / Olhou os preços do buffet? / Pagou o seguro? / Pegou o carro na oficina? / Fez as compras do supermercado? / Será que vou ser promovida? / Será que consigo emendar aquele feriado?


The older we get, the better we used to be.

Infância nos 90.

Tazos, Et's da Coca Cola, 'Mais uma estrela que brilha no firmamento da Fox Kids', propaganda do Alô Card, música da Amoeba, Pizza Já, guarda chuva/bola de futebol/moeda de parafina, pirulito de pé com pózinho que estora na boca, jogadores de futebol da Coca, mini-engradados da Coca, pokemon no guarana caçulinha, pedaços de corpos da familia addans no chips, bichinhos de pelucia em extinação no guarana caçulinha, aniversário na Pizza Hut (a gente bricava de prender os meninos hahha), no Mc Donalds, no Druida Kids, brigar na torre do bosque, tocar campainha e sair correndo, Diaio de Dougie, A Hora do Recreio, Ana Pimentinha, Dragon Ball Z, Pokemon (para proteger o mundo da devastação, para unir os povos danossa nação, Jessi, James, decolando na velocidade da luz, rendam-se agora ou preparem-se para lutar), Digimon (eu choro com a musica de digitransformação até hoje haha [OMG, *voz de bichinho* patamon digivolve paaara *voz de montro* umbichomuitofodaegrandemooon]), Meninas Super poderosas (tinha aquele demonio bicha hahaha) Hey Arnold, Rocket Power, Os Thornberrys, Kirby, os Animaníacos, Hamtaro, Sakura Card Captors (Vooolte a forma humilde que merece, caaarta cloooow) Bananas de Pijamas, A Vaca e o Frango, Corrida Maluca (peeeguem o Pombo agoora, prendam, segurem agarrem, capturem, peguem o pombo agooora), Johny Bravo, Pink e o Cérebro (pink e o cerebro, o cerebro, o cerebro e o pink), Angela Anaconda,Thundercats (podre vey ¬¬''),Coragem o Cão Covarde (ADOOORO) Cãezinhos do Canil, Hércules, Yu Gi Oh (eu e minha prima ficavamos brigando de quel era mais sexy, o Yu Gi bonzinho ou o do mal hahaha) O fantástico mundo de Bob, Tv (ou Disney) Cruj (OMG! *Comitê revolucionário ultre-jovem*,  Cruj Cruj Cruj Tchau, com o Caju (que o nome de verdade era Juca), o Maca, a Pipoca *--*). Guaraná caçulina (com bichinhos em extinção de pelucia e bichinhos do pokemon. Eu lembro que eu tinha o Ash, e todos os meninos queriam torcar comigo, me achava o máximo). Poucas, poucas pulgas, Diário de Daniela, Chiquititas (ainda ouço, confesso hahaha), Carrossel 2, Alegrifes e Rabujos.



HAHAHAHAHA Não somos crianças; somos ultra-jovens e merecemos respeito!".

25 de abr de 2014

a lista de coisas permitidas:

andar descalço na sua casa
brincar com seu cachorro
abrir sua geladeira
zapear pelos canais da sua tv
por os pés no seu sofá
pegar coberta no seu armario


mas ter uma escova de dentes pra mim no seu banheiro,
aí não
aí já é demais. 

21 de abr de 2014

Ela não é pra casar.

Ela não é pra casar. Não se desgaste apresentando-a aos seus pais, nem se iluda conhecendo os dela. Eles bem sabem que ela chegou com você pelo braço com a mesma empolgação de quando vinha com um gatinho encontrado na porta da casa, uma amiguinha que acabara de conhecer na escola ou um brinquedo novo do qual logo ia se cansar. Ela só quer brincar com você. Vá lá, divirta-se.
Não a leve a sério. Observe como ela desprende o corpo para trás e ri alto. Ela não é do tipo que se contém. Desbocada, vive cercada, agrega pessoas, entende de música, bem mais que você. Aproveite o fato de ela desconhecer limites, detestar pudores, saber usar todas as armas que tem. Mas não se iluda, isso não é uma guerra, não vai haver vencedor. Ela vai atirar e correr, covarde, esperta. Feito uma moleca, ladra de frutas do seu pomar, do seu orgulho.
Não lhe faça promessas, não jure, não minta, não pareça ser o que não é. Entenda de uma vez por todas que ela não te quer pra viagem. Ela vai te beber, te comer e se satisfazer da vontade momentânea de você, ali mesmo, na calçada. Não é insensibilidade. Ela anda sem tempo. Está correndo pra ver se consegue guardar todos os livros, lugares e gostos antes da chegada do esquecimento.
Ela gosta de receber flores, mas não vai guardar o cartão. Ela não vai lembrar do seu nome. Talvez do seu cheiro. Ela prefere ir sozinha no cinema, pedir a maior pipoca e esticar as pernas na poltrona da frente do que se esforçar para caber no seu ombro direito. Ela não precisa de você para trocar lâmpadas, pneu do carro, dia pela noite, toque por prazer. Ela não quer uma aliança envolvendo o dedo anelar. Ela só quer os seus braços envolvendo os dela. Sem muito aperto.
Ela não quer discutir horários, defender amigos, aprender receitas, fingir orgasmos. Ela se basta, autossuficiente. Talvez te ligue no meio da madrugada pra pedir abrigo, mas vai sair antes de você acordar. Perdão, mas você não cabe, nem na bolsa maior, nem no bolso menor, nem no armário do banheiro. Você é grande, espaçoso, cheio de vontades e ela, duas vezes mais e maior que você. Basta notar que, em todas as sentenças, é ela que vem antes de você. Ela é o sujeito e você um complemento, objeto direto do prazer.
Não, ela não é pra casar com você.
Diego Engenho Novo