18 de set de 2010

Pouco Esperado.

O telefonema pegou-a de susrpresa. Atendeu com impacinência, os olhos presos a um livro que tinha nas mãos, uma história policial que não consegui parar de ler. Era bom estar sozinha, lendo um livro de sesupense numa noite de ventania. O sábado já estava quase no fim e ela alí, presa á aquelas páginas. O som do telefone era uma intromissão, um estorvo. Atendeu a contra-gosto.
-E aí Zwicker?-respondeu uma voz masculina do outro lado da linha. Ela odiava quando a chamavam por seu sobrenome, mas quando ele falava, era diferente.
-Oi-respondeu ela, sem saber o que dizer. Se coração se aqueceu, disparado. Como ele havia descoberto seu número?
-Olha, eu estou indo para a festa da Karin, e meio que.. estou sem um par agora - seus pensamentos a interromperam. Ele não ia com a Emily? Ela era loira, popular, desejo de consumo de todos, daquelas que preferem falar sobre moda e maquiagem, diferente dela. Ela acreditava que, por isso, gostava dele. Porque ele era o único garoto que a quis conhecer por trás de seus livros e óculos (apesar de ser, na verdade, muito bonita), com quem adorava conversar sobre geopolítica e rir ao mesmo tempo. Como ele podia ser amigo de pessoas tão diferentes?-... parece que aconteceu alguma coisa com a limo que ela alugou e meio que... bem, desculpe perguntar encima da hora, mas queria saber se você não quer ir comigo. Sei que não foi convidada, mas posso dar um geito nisso-O corpo dela gelou na hora.Cogitou a ideia. Não, era impossível, ela não tinha rupa, nem como se arrumar nem nada. Apesar de ser boa ideia, não tinha como dar certo.
-Desculpe, não dá-disse, antes de mudar de ideia
-Ahn, tá bom... mas se quiser ir, me ligue, vou de qualquer jeito. Até- e desligou antes de ouvir uma resposta. Ela ficou parada, boquiaberta, com a mesma expressão enquanto batia o telefone no gancho. Seus pensamentos ficaram em silêncio. Se sentou e abriu o livro, que agora não parecia mais tão interessante, agora, ele era simplesmente inútil. Era estúpido pensar em ler ao invés de se divertir com o cara que gostava, Fechou o livro e caminhou até seus armário, trocando seus pijamas pelo seu jeans favorito. Talvez não fosse para a festa, mas iria sair, e com ótima companhia.
----------------
Estava eu a toa, quando lemrei que tinha escrito esse texto. Revirei meu armário. Escrevi a uns 2, 3 anos atrás (daqueles trabalhos q a fessora dá a primeira frase e vc escreve a historia, sabe?), e olha só, as minhas  perguntas-reflexão já estavam ali para me perseguirem hahaha.  

Nenhum comentário: