23 de out de 2010

Incrível.

Acho incrível como os pais ficam nostálgicos quando as filhas crescem. Principalmente pai. Porque pai, para filha menina, costuma ter sempre a ideia de 'minha princesa', não importa quantos anos a filha tenha. Mas as mães costumam a ser mais ligadas na realidade. Minha mãe sempre sabe quando eu minto, quando eu faço as coisas que não devo, quando saio escondido. Mas meu pai, nem desconfia. Se eu disse que fui pra tal lugar com fulano, ele vai acreditar e pronto. Em troca, eu não escondo MUITAS coisas da minha mãe. Só o básico, que sempre tem. Com o meu pai, nem brinco, porque ele sempre leva super a sério.
Eis que a Tainá, desde os nove anos, sempre quis ter o quarto rosa. O quarto não. Uma parede rosa choque, e o resto branco. E o tempo passando e nada. Passando e nada. Aí, com uns 15 anos parei de pedir.  Não porque não quisesse mais, mas pq além de já tar cansada de pedir, não era mais tão importante.
E eis que, esse ano, quando chego do meu grito de liberdade Estadunidense (que aliás, é mais um motivo que meu pai morre de medo de me deixar ir pra lá. Ele acha que eu vou abandoná-lo e viver independentemente na primeira oportunidade que tiver. E pior ainda se for nos EUA.), eu vi não uma parede, mas TODAS as paredes do meu quarto pintadas de rosa. Uma de rosa choque e as outras de ROSA BEBE. ROSA BEBE vey. E que cara eu ia fazer? Meu pai e minha mãe pintaram o quarto NA MÃO enquanto eu tava fora. Não é que não gostei, até pq já acostumei, e o que vale pra mim nesse caso, não foi o resultado e sim a intenção.
Imagina que graça. Tainá de intercâmbio nos EUA, á um ano da maioridade, e o pai dela surtando, pintando o quarto dela todo de rosa bebê, tentando resgatar a garota-princesinha dele?
Se Deus quiser, mudo de apartamento ainda esse ano. Por mim, mantenho a ideia inical. Uma parede rosa choque e o resto branco, mas ele quer pintar meu quarto do mesmo jeito que tá . E agora, comofas?

Nenhum comentário: