5 de ago de 2011

Brandon estava sentado no sofá, sozinho, o copo de wiskey na mão, braços cruzados, cara fechada. Porcaria de festa, só queria ir embora.
Olhou Callie de longe. Ela estava com aquele namorado novo, um tal de Heath, e nem olhava na direção dele. Ridículos.
Ela agitou os cabelos, feliz, balançando-os com as mãos para trás no ritmo da música, baixou a mão que tinha algum drink, tirando um mecha que tinha grudado nos seus lábios com gloss. O namorado colocou a mão junto da dela. Se aproximou, cochicou alguma coisa nos ouvidos dela. Pelo visto ele gostava de aparecer. Acabou fazendo ela rir, dobrando levemente os joelhos. Ao mesmo tempo o namorado se divertia com os amigos, falando alto. Parecia gostar muito de atenção, por assim dizer. Até que gritou alguma coisa do tipo 'desculpem, mas a mais gostosa da festa já tem namorado'. Brandon riu maliciosamente por dentro. Ele conhecia muito bem Callie e sabia que ela não ia encarar isso muito como um elogio. Ele a conhecia como ninguem e esse namorado tinha acabado de perder 'sua gostosa'. Ou não. A garota riu com ele, brincando tampar a boca dele de brincadeira e lhe tascando um beijo na boca. O namorado a puxou pela cintura, lhe dando um beijo na bochecha. Brandon o tal de Heath já teria feito alguma coisa com a garota dele, ele parecia o tipo de cara que não aceitaria não transar com uma namorada. Ele mesmo tinha perdido as contas de quantas vezes tinha insistido no assunto com ela, tinha até tentado fazê-la ficar bêbada uma vez. Ela percebeu e ficou brigada com ele por dois meses, então eles nunca tinham feito nada de mais. Ia ser uma merda total se esse Heath já tivesse transado com ela. Ela pegou na mão do namorado, levantando o cigarro que ele levava. Deu um trago sem que ele largasse o cigarro, encostando os dedos nos lábios dela. Ela comentou alguma coisa, soprando a fumaça para cima.
Foi a gota d'água para Brandon. Se levantou e foi embora, para não fazer coisa pior, com raiva de si mesmo. A Callie dele quase nunca falava alto. Ficava com as bochechas vermelhas quando ele falava com ela. Sorria docemente. Quase nunca bebia. Gostava do carinho dele, da proteção. Gostava de palavras doces. Não reconhecia essa nova menina no corpo da sua Callie antiga. Essa menina qua parecia tão livre, que parecia não ligar para o que os outros falavam. Que ria e brincava em voz alta, cheia de confiança. Mas que ao mesmo tempo bebia como louca, e dava um trago no cigarro do namorado, e agarrava esse namorado que tinha um ego tão grande e que falava tanta asneira na frente de todo mundo. Esse namorado que apesar de tudo, parece que tinha feito a única coisa que ele não tinha feito: tinha sido fiel. Ele se lembrou das lágrimas e do celular desligado e do tanto que ela tinha insistido nele até a ultima chance, mas não adiantava.
Ele tinha tido uma ótima garota e tinha estragado ela.

Nenhum comentário: