9 de nov de 2011

highs and lows

Estava conversando outro da sobre relacionamentos com a minha mãe, e a gentetava falando exatamente sobre altos e baixos, que a gente sabe que todo tipo de relacionamento tem, e é a diferença entre eles que mede se um relacionamento vai bem ou mal. Por exemplo, quanto mais altos forem os altos, menos baixos vão ser os baixos: você está em uma crise com o fulano, seja brigas, tédio, o que quer que seja, mas aí você lembra de estava com o fulano e você fizeram uma viagem juntos, foi maravilhoso, você lembra de todas as risadas, de tudo de bom que o fulano te disse e do tanto que vcs de divertiram, e vê que vale a pena passar pela crise porque podem viver tudo de novo ainda. Mas pode ser que você procure na memória e não ache nada: totalmente frustrante, e você vai continuar esperando e esperando os altos chegarem. - Acho que aí é o momento certo de terminar tudo: os baixos ganham dos altos. Os altos aconeteceram a tanto tempo, e eram tão fracos e isolados que acaba fazendo os baixos parecerem cada vez mais baixos.
Trazendo para a minha realidade particular, vejo isso muito na minha relação com a liberdade: gosto de ser livre e não ter ninguem no meu pé, e isso pra mim é um grande alto. Por isso não me interesso muito por um relacionamento sério agora - ele ia ter que ser um alto bem mais alto para fazer valer a pena eu abrir mão dessa minha liberdade. E pior ainda, nos relacionamentos é IMPOSSIVEL não se prender, e isso pra mim no momento é um ponto baixo, coisa que minha liberdade não tem.
Mas Tainá, você vai morrer sozinha? DURH, não né. Sou jovem e gosto de liberdade por isso, a gente sabe que acaba sendo mais castrado e settling down com o passar dos anos, e não só esse nível de liberdade vai baixando, mas como tambem a compreensão vai aumentando. E eu pretendo aproveitar ao máximo das duas fases. Mas por enquanto, nada disso: até hoje eu só quis sossegar por causa de uma pessoa e não pretendo pensar novamente isso por um bom tempo =)

Nenhum comentário: