29 de dez de 2011

sounds good.

Ele abriu uma garrafa de vinho, servindo-o para os dois.
Ele sorriu para ela. -Claro que você é. Mas não me contou. Como foi na competição?- ele levantou a taça, encostando de leve na dela.
-Primeiro lugar.- ela olhou desafiadora nos olhos dele, a taça ainda no ar.  Ele ergueu a mão para cumprimentá-la. Ela deu um gole no vinho , e bateu   mão dele, sentindo os seus dedos se entrelaçarem e em seguida se esvaírem, estalando os lábios. -Sabe, está ficando meio chato já- disse ela, fazendo uma careta de metida, escondendo um sorriso, como quem brinca dizendo  ‘eu nao posso evitar se sou o maximo’.Ele riu.
-Aaaah, é? Então você contou a elas como foi seu padrinho de que acampamento que te ensinou tudo né?- Disse ela, erguendo o peito, se sentindo assim como ela fez. Um dos diferenciais no acampamento era o sistema de apadrinhagem. Era obrigatório nos últimos dois anos apadrinhar pelo menos um camper que estivesse em algum dos três primeiros anos. Ele tinha que acompanhar os treinos, e todas as vitórias rendiam prêmios às duas partes. Resumindo, era um jeito fácil de deixar um legado ou pegar aquela novinha que os caras mais velhos estavam de olho.
-Você sabe, na verdade eu sou um talento nato. É o que todas as revistas dizem.- e riu na maior cara de pau, desafiando-o. Se lembrou de uma noite em que ela acordou de madrugada, e sem conseguir voltar a dormir, resolveu ir nadar, porque sempre a acalmava. Quem sabe poderia usar sua insônia em algo mais útil. Foi para a piscina coberta, que estava sempre aquecida, e nadava, ia e voltava na piscina sem contar quantas vezes. E então percebeu, alguem estava nadando na piscina com ela. Se sentiu contrariada, tinha certeza que não tinha ninguém lá quando ela tinha entrado. Se perguntou quanto tempo ele estava ali nadando desde que ela tinha entrado. 
-Engraçado, porque eu lembro de já te ter vencido, sabe?- Pegou o tempero e adicionou no molho, a panela fazendo tsss com um grande volume da vapor que subiu. Ele nadava mais rápido que ela, a desafiando. Ela foi ficando irritada, com aquela pseudo-competição até que saiu da piscina. ‘HEY! Será que não tem outro horário que você possa treinar?’ Ela perguntou, de pé, com as mão na cintura, da ponta da piscina, tentando chamar a atenção dele.
-Hahaha, você sabe, desde o ínicio eu era melhor que você, só precisava de treinamento. Admita!- Ela deu de ombros, sorrindo, se desculpando novamente. Ele tinha parado, e saiu da piscina, e sem nem se secar, com o cabelo pingando se aproximou sorrido pra ela. ’Oi, meu nome é Brandon. E, se você aceitasse, eu adoraria te treinar.’- e estendeu a mão à ela.
-Tudo bem, eu admito. E é como dizem né, o bom aprendiz supera o mestre.-Ela assentiu, vitoriosa.

Nenhum comentário: