11 de ago de 2012

quite a bit effy stonem.

A Effy é um menina que acredita piamente no amor. A Anthea comenta isso na conversa com o Freddie uma vez. Você vê que isso é verdade porque ela ajuda a Cassie e o Sid. Se ela não acreditasse, nao teria porque fazer isso. Porém a ideia que ela tem de amor é meio distorcida. Ela vê amor nos seus pais, e a mãe dela é depressiva e é um lar cheio de defeitos. O relacionamento do irmão e exemplo dela, Tony, com a Michelle é baseado em uma puta manipulação e mentiras, mas até eu, você e todo mundo sabemos o quanto eles se amam. E a Effy cresce com esses exemplos, porém ela nunca sentiu algo do tipo. A primeira imagem que temos da Effy é ela chegando toda destruída de uma festa pedindo o irmão para distrair os pais enquanto ela vai pro seu quarto, se arruma e desce as escadas com o uniforme perfeito de colégio particular. É a melhor introdução para Effy: ela manipula todo mundo passando a imagem que ela quer para conseguir o que ela quer. Isso torna ela misteriosa porque então ninguem sabe como ela é de verdade. Na verdade, ela é tão bagunçada por dentro que nem ela sabe. No início da segunda geração ela está mais discrente no amor e mais sem chão do que nuca: ela não tem mais o Tony perto dela, e a mãe dela trai o ái e então eles se separam. É como se tudo no que a Effy conhecia ou acreditava sobre o amor dasabasse. Então ela conhece o Cook e o Freddie. Todo mundo percebe que o Cook é um igual - problemático, intenso e determinado como ela- e o Freddie é um diferente -calmo, estático, covarde-. É de um Freddie que ela precisava e isso faz ela se apaixonar por ele. Ela quer ver se o que o Freddie sente por ela é capaz de mudá-lo e por isso ela cria um jogo doentio: uma lista de coisas proibidas para fazer no colégio, e quem consegui completá-las ganha o prêmio: ela. Freddie nem tenta. Isso é o tipo de coisas que o Cook faz, não ele. Com o tempo ela não tem mais certeza do que sente pelo Cook... é um misto da carinho, de companheirismo, de falta de paciência, de enxergar no Cook um potencial que ninguem mais vê e ela está incrivelmente entediada com ele. O Freddie é uma mosca morta total. Ele vê ela se esfregando o tempo todo no Cook, ele vê que ela ta infeliz e mesmo assim ele não faz nada. Não é que ele não goste dela, mas ele é  covarde demais pra fazer alguma coisa a respeito. Daí ela decide fazer, e vai até a casa dele pra fazer alguma coisa a respeito. Então pela primeira vez ela dá liberdade para sentir o amor que ela sabia que tinha por ele e era sempre reprimido. Isso assusta ela em um nível do que não é normal, porque ela descobre que ela não simplesmente gosta dele, mas que é uma coisa doentia demais, obcecada demais, e o coração del bate tão ráídos e as mãos suam tão frio e o buraco no estômago é tão grande que ela passa mal. Então, quando ela finalmente fica com o Freddie tudo desanda e ela tem praticamente um colapso. Parecer ser forte e desapegada e não se envolver era tudo o que era capaz de segurar a loucura dentro dela, e se livrar dessa máscara a torna fraca -o que ela disse pro Freddie 'you've made me weak. you made me go mad, thats not what love was supposed to do.', e ele responde 'thats exactly what love was supposed to do.' Mas claro, a Effy intensa como é, enlouquece demais. E quem é que seria capaz de cuidar dela? Com certeza não é o covarde e fraquinho do Freddie. É o Cook: o problemático intenso e forte do Cook. O Freddie é do que ela precisava, mas só o Cook saberia de verdade como lidar com ela.

Anger, jealousy, bitterness, tiredness, hope, lust, love. Its everywhere. You just cant see it.

Nenhum comentário: