22 de out de 2012

Je ne suis pas obligé

Vey... já que eu abri o confessionário aqui no blog hoje, lá vem outra: to com muita vergonha de uma atitude minha. Sabe... eu sempre me orgulhei de ser uma pessoa desapegada. Ser desapegada não é julgar todo mundo descartável na sua vida, é saber reconhecer o momento em que uma coisa nao funciona mais, ou o momento em que você perdeu o valor pra uma pessoa, e saber parar de fazer questão de ter essa pessoa/ coisa para você.
Enfim... existia um cara. E a Tainá deu murro em ponto de faca com esse cara por quatro anos, acreditem vocês ou não. Mas os primeiros três anos não foram problemas sabe... porque mulher tem esperança demais de fazer dar certo em causa perdida, principalmente quando gosta da pessoa, e quando você vê que ela tambem tem esperança, etc etc... o caso fica meio foda. O problema é quando você vê que a pessoa não faz mais questão e vc tá lutando sozinha, e foi por isso que o ultimo dos 4 anos foi erro.
Nem um pouco minha cara né? E eu custei pra perceber o que eu tava fazendo.
Sabe porque foi que a ficha caiu? A ficha caiu em agosto. Foi um dos melhores meses da minha vida, na moral. Eis que, por mais que a Tainá gostasse desse tal de fulano, ela nunca abriu mão dos peguetes dela (até porque né, sou burra mas nem tanto. trocar certo pelo duvidoso já ia ser uó). Tainá comemorou aniversário com o(s) peguete(s) e estava feliz da vida. Tainá nunca fez nada pra esconder do tal do cara o (ai, nao vou por 's' toda vez nao, interpretem como preferirem)  peguete dela, muito pelo contrário. Sempre contei tudo que ele me perguntava porque nao quero dar uma imagem idealizada (que ele tinha acabado atribuindo a mim), e nem mentir ou esconder o que eu faço ou deixo de fazer. Claro que o cara me repreendeu. Eu chamei ele pra todos meus aniversários. Ele nunca foi em nenhum e só me deu parabéns em um deles. Meus peguetes sempre vão nos meus aniversários ou comemoram comigo, isso pra não falar quando são os primeiro a me darem parabéns. Aí eu parei pra pensar o tanto que eu tava caçando problema na minha vida.
Vey... peguete me faz feliz, atende todas minhas expectativas (e não é do tipo 'não tenho expectativas' sabe? eu tenho, e são altas... mesmo que para peguetes), eles me fazem feliz e nunca me deram um único pingo de dor de cabeça. Eu linda, leve, solta, feliz, desestressada, curtindo minha vida, tudo dando certo. E ali estava eu preocupada com um cara que só me dá problema, dor de cabeça, nao tem absolutamente nada a ver comigo ou com o tipo de pessoa que eu quero pra mim, e de quem no fim EU JÁ NÃO GOSTAVA A MAIS DE SEIS MESES????????????? What the fuck você tá fazendo Tainá?????????? Não sou obrigada, não preciso disso NEM UM POUCO, na moral !!! Ficar mendigando migalha enquanto eu tenho pão brioche e cupcake e uma padaria inteira não faz nem um pouco de sentido !
Enfim eu parei pra pensar 'porque eu demorei tanto pra perceber isso??' e cheguei a duas respostas.
- Síndrome de super hero. Eu tenho um pouco disso sabe... é quando vc pega uma pessoa que é meio problemática e fala 'vey, eu queria muito fazer essa pessoa feliz'. Mas vey... não adianta o quanto você tem vontade de fazer isso sabe... se a pessoa nao confiar em você, ou não tiver vontade de fazer as coisas mudarem, não vai adiantar. e acreditem, a grande maioria nao tem. E se você acha que tem é propaganda enganosa ou fogo de palha.
- Querer recuparar o que eu sentia pela pessoa. Vey, todo mundo sabe que eu tenho um problema de não gostar de ninguem (mas tainá, eu conheço um monte de gente que só gostou de uma pessoa na vida... ou pior ainda, nenhuma ! Poisé, mas eles estão satisfeitos com isso não estão? Eu não estou, eu queria achar alguem de quem eu fosse capaz de gostar.). E ele foi o único de quem eu já gostei. Mas será que devia mesmo voltar a gostar de alguem que só me deu prejuízo só pra poder gostar? Ou só por medo de nunca mais gostar de ninguem na vida?? POR FAVOR, NAO ! O mundo tá cheio de gente interessante. Prefiro ficar só com meus peguetes, nem que eu tenha q esperar um zilhao de anos pra achar outra pessoas que eu goste do que ficar presa a peso morto.

Todos os dois motivos são muito ruins, e eu não sei definir qual deles é pior.

PS: eu sei que o post ficou meio crise de meia idade (MEIO !) mas entendam que isso é caso de uma vez na vida (principalmente na minha ! hhahahahhaha). Juro por tudo de mais sagrado que sou esperta ! hahahaha

6 comentários:

Bruno disse...

Não tenha tanta certeza de que você é desapegada. É fácil demais ser "desapegada" quando se é filha única, recebe todo o amor e atenção possível dos pais, recebe atenção e carinho de homens cujo coração você destrói colocando no que você chama de "friendzone", tem um monte de "peguetes" e "amigas" a rodo por aí, é bonita e popular... aí acaba acreditando que apenas por ser bonita, você é tão foda que nada vai dar errado.

Pois bem, aí aparece esse carinha, e vc descobre algo que não conhecia: rejeição. E isso te perturba. Como pode alguém não gostar de mim? Como pode alguem não me achar interessante, se eu sou tão foda?

Você diz pra si mesma que isso é atraso de vida, que está cheio de gente interessante, mas o seu ego não consegue aceitar essa rejeição. Isso não é apego. É ego ferido.

Desapego é quando você está bem, independente das tempestades que ocorrem à sua volta. Desapego é quando mesmo vivendo na mais completa solidão, você consegue estar bem, e saber que a vida é ampla, que sempre existem possibilidades àqueles que querem desbravar novos horizontes.

Desapego é ouvir da pessoa que você ama que o seu amor não é correspondido, é ver isso nos olhos dela, é ver os olhos dela brilharem ao falar de outro, e mesmo assim oferecer a ela a sua amizade. É abrir mão do seu sonho, e dos seus sentimentos por querer bem alguém. É ter a maturidade de aceitar que a outra pessoa não é obrigada a te amar. Não, ela não me colocou na friendzone. Ela é um "pouquinho" mais madura que vc, e eu também sou um "pouquinho" mais maduro, o suficiente pra não cair nesse tipo de artimanha. Ela foi honesta comigo o tempo todo, e mesmo assim tem a minha amizade. Algo que vc não conhece de verdade: amizades verdadeiras.

Você é jovem e bonita, certamente a vida te reserva muitas surpresas. Certamente os seus planos do post "casamento" não vão sair tão cartesianos quanto você os idealizou. Espere muitas reviravoltas. Espero que elas te tragam amadurecimento e serenem seu coração.

Por fim, lembre-se sempre da lei do eterno retorno. Tudo que vai, volta. Um dia (se tiver maturidade suficiente pra isso) você vai entender o mal que causou aos corações que você quebrou. A beleza, a juventude e o dinheiro são as coisas mais efêmeras que existem, eles vão embora sem que nos demos conta.

Um dia você vai descobrir que precisará batalhar pelo amor das pessoas. Ele não vai ser oferecido gratuitamente a você, como agora, só pelo seu rostinho bonito. Vai depender de quem você é na verdade, e de quem você foi no passado. O que você é hoje não parece muito promissor para enfrentar essa fase. Mas você é jovem, terá muito tempo ainda pra mudar isso.

Que Deus coloque um pouco de juizo e maturidade no seu coração e que você possa aprender que as outras pessoas são seres humanos e tem sentimentos como você. E não itens colecionáveis que você pode colocar numa caixa da Tiffany.

Tainá disse...

Bruno

não adianta discutir com você porque nossos conceitos de 'desapego' são diferentes, mas estou torcendo muito para que você volte aqui para ler meu comentário.

É claro que todo meu histórico é o que me faz ser desapegada. Eu nunca tive dúvidas disso.

Quanto à parte da rejeição, acredito que esteja terrivelmente errado. Você acha que esse foi o único cara que me rejeitou?? Claro que não !!! Pessoas -inclusive a fodona aqui- são rejeitadas todos os dias. Além disso, eu não deixei explicito nesse post, mas eu não fui rejeitada de cara nesse relacionamento descrito... afinal foram quase 4 anos em que, até certo ponto eu fui correspondida. Por outro lado, eu não posso falar que gente que bate o pé, que teima comigo, ou que não aceita todos os meus caprichos não chama atenção. É claro que chama. E não me chama de maneira a ferir meu ego, mas chama minha atenção de maneira totalmente positiva. Quer dizer que elas são pessoas como eu -elas não estão ali pra acatar a ordem dos outros, mas para impô-las-.

Nossa ideia de desapego é totalmente diferente. Eu não tenho um pingo de crença que alguem no mundo seja capaz de estar bem estando na solidão. Tudo muito tocante sobre aturar a pessoa que você gosta gostando de alguem e tal, mas investir onde não existe possibilidade de retorno é estupidez e perda de tempo. É aí que entra o meu conceito de desapego: ser capaz de largar uma coisa que você vê que não vai dar certo, ou que só vai te trazer infelicidade, mesmo quando acha que a quer mais do que tudo no mundo.
Abrir maos dos seus sonhos por causa de alguem????? Isso é total absurdo. As pessoas vêm e vão, mas os seus sonhos são pra sempre.
Quanto à parte de 'amizade verdadeira' que acredito de verdade que eu nunca a tive com o sexo oposto por um problema unicamente meu: acredito que eu gosto demais da atenção masculina para que ela se limite à amizade, e eu espero um dia ser capaz de ter uma sem colocar outras coisas no caminho.

Quanto a parte de 'batalhar pelo amor das pessoas, etc' eu gostaria de deixar muito claro: vários caras já gostaram de mim, eu é que nunca gostei de ninguem (com a exceção do cara desse post, que foi o único).

Pela parte do 'karma' eu acredito que todo mundo superestima demais os friendzonados. Como você mesmo disse, eu tenho 19 anos, sou jovem. Gente da minha idade não sabe nem o que quer da vida, e já acha que meia dúzia de palavras cria um amor verdadeiro que se não for correspondido cria traumas???? Isso é demais pra mim. As pessoas precisam de aprender a parar de superestimar as coisas ruins -e pequenas- que acontecem, parar de se fazerem de vítimas e de indefesas, e correrem mais atrás do que querem. É só o que eu acho.

O que eu coloco na caixinha não são itens, são ideias.

Bruno disse...

Aprecio respostas educadas aos meus comentários idiotas, pois mostram pessoas amadurecidas, pelo menos no aspecto de manter a classe sempre. Eu confesso que não tenho a mesma habilidade.

Muito interessantes as suas idéias. Sua caixinha é um espelho perfeito dos relacionamentos modernos. Quando digo que suas idéias são interessantes, não quero dizer que concordo com elas, mas que as vejo como objeto de estudo. Acho fascinante aprender mais sobre os seres humanos, pois essa compreensão foi algo que sempre me fez muita falta.

Ser rejeitado, na verdade, não é apenas ouvir um "não". É ouvir um "não" da única pessoa de quem você não queria ouvir. Ou, pior ainda, ouvir um "sim" falso e interesseiro, e descobrir essa falsidade da pior forma possível.

Tudo tem consequencias. Claro que friendzonar seus amigos pode até ensiná-los a ser homens melhores, e sou partidário da idéia que homens tem sim que aprender com as porradas da vida. Mas as mulheres tem uma idéia do homem como se ele fosse de aço, indestrutível. Nem sempre é assim. Somos todos de carne e osso, homens e mulheres. E o fato de no final das contas ele tirar um aprendizado da "friendzonada" não torna esse gesto mais nobre.

Também podemos usar a idéia da "friendzone" e pensar que existe uma "sexzone". Aquela em que os homens vivem colocando as mulheres, prometendo carinho e felicidade, quando o que querem é apenas manter aquela mulher ali, presa, para que possam comê-la quando quiserem. Me pergunto se você apoia os homens "sexzonadores" tanto quanto as mulheres "friendzonadoras", e se também acha que as mulheres "sexzonadas" tem mais é que parar de chorar e correr atrás do que querem.

Me pergunto se você conhece um amor verdadeiro, aliás me pergunto se as mulheres o sentem na mesma intensidade que nós. Engraçado que a mídia, a produção cultural sempre diz o contrário.

Mas talvez vc tenha razão. Talvez os homens da nossa geração sejam mesmo muito frouxos. Como vc mesma bem colocou, o homem que se impõe, que mostra liderança, que mostra desapego, vence a batalha da paixão.

O problema é: imaginando um cara com essas características, o que ele ganha entrando em um relacionamento? Ele entra com tudo sozinho. Ele é o lider, ele é a âncora emocional, ele é independente. Agora junte mais duas características que as mulheres colocam como praticamente obrigatorias, grana e corpo sarado. Um homem assim só entraria num relacionamento se se tornasse de repente um apaixonado (e a perderia, por se tornar apegado). Caso contrário, ele vai fazer a festa. Certo? Voltamos então à sexzone.

Então começamos a enxergar a dinamica dos relacionamentos modernos: friendzones e sexzones para todo lado, pessoas com egos imensos, que só querem a pessoa perfeita sem dar nada em troca, e todos infelizes sem entender porque. Eu sinceramente gostaria de ter nascido em outra época.

Por fim, o apego. Vc falou uma coisa bem interessante. "investir onde não existe possibilidade de retorno é estupidez e perda de tempo". Concordo. Isso é desapego ao extremo, mais do que isso, é uma visão utilitarista das pessoas. Não acho que essa visão utilitarista se sustente em face do amor verdadeiro, mas se é isso que realmente pensa, que seja feliz em seus caminhos.

Tainá disse...

Bruno

Haha que bom, eu sempre fui a favor de um diálogo aberto sobre tudo que coloco aqui no meu blog, e o post da friendzone não é excessão.

Eu acredito que essa sua 'sexzone' seja exatamente como a friendzone, porem um pouco pior. Você veja que na friendzone só a parte sentimental é afetada, e já na sexzone sera parte sentimental E sexual. Mas isso não faz as 'sexzonadas' mais vítimas que os 'friendzonados', os dois são igualmente fracos ou incapazes de mudarem sua situação atual.

Hahahahaha, se eu conheço amor verdadeiro eu tambem não sei não, até porque a definição de 'amor verdadeiro' é bem indefinida. Entendo o que você quer dizer... acontece que muitas vezes as mulheres confundem amor com carência e comodismo, seja ele emocional, financeiro etc. já com os homens eu acredito que isso não existe, ou eles amam ou não amam.

EXATAMENTE o que você falou: quanto maior as chances de uma pessoa 'conseguir mulher', mais mulher ele vai querer. Aí entramos no velho lema de que o homem passa a não dar valor etc etc. Você disse que se ele se visse apaixonado perderia, por se tornar assim apegado. Não acredito que isso seja necessariamente verdade. Se ela gostar dele, vai ficar com ele.

Seu penúltimo parágrafo define muito bem o que a gente vê hoje em dia. Mas sabe o que eu acho? Nessa vida tem tempo para tudo. Não acredito que quem vive cultivando friend e sex zones queira ficar nessa para sempre.

Não vejo isso como uma visão utilitarista, mas vejo como 'jogar dentro da sua área de segurança', algo do tipo 'pode se apaixonar, mas nunca se apaixone primeiro'. Desse jeito, se você esperar a outra pessoa fazer o movimento antes de você, quer dizer que ela gosta mais de você do que você dela, o que te dá ainda mais segurança no relacionamento.
-E como você pode ver, eu vejo relacionamentos como uma grande arena de jogos hahahaha-

Bruno disse...

Bom, Tainá, depois dos ultimos acontecimentos que ocorreram comigo e das coisas que andei sabendo sobre relacionamentos, tenho que te confessar que seu blog não é mais tão chocante assim pra mim. Já estou quase te achando uma menina legal. Foi bom discutir contigo, mesmo nao concordando com muitas das suas idéais. Mas existem verdades sobre as mulheres que eu preciso aceitar, o fato de eu não gostar delas não fará com que elas deixem de existir. Talvez eu deva me preocupar mais comigo do que com os outros, como habitualmente ocorre... enfim, nao vou começar a falar de mim, só voltei pra te dizer que gostei de "brigar" com vc. rs. Me fez refletir muitas coisas. Outra no seu lugar teria me xingado. Taí outra lição importante: grosseria não ajuda a vencer uma discussão. Keep writing. Abraços.

Tainá disse...

Mas eu sou uma menina legal, rs !
Olha eu acho muito legal homem desencantar de mulher, parar de por em pedestal, parar de vê-las como vítimas ou considerar que a cusa sentimental delas é mais 'nobre' que a dos homens, mas por favor não encare isso como uma coisa negativa.
Love life is tough, but its definently worth it ;D
(claro né, isso se vc choose the right people to fight for).
Outro abraço.